MEU PAI FORA DE ESQUADRO

Em 2013, no começo do ano, meu pai começou a manifestar os primeiros sintomas de depressão, desânimo, um cansaço sub humano e tudo mais que vem no pacote “depressão”. Confesso que foi muito difícil descobrir o que era realmente, e para que isto ocorresse foram inúmeras idas a todos os tipos de especialidades médicas, quando nos deparamos com o diagnóstico. Nem todos estão livres deste mau e o mais surpreendente é que nunca poderíamos imaginar que isto ocorresse com ele, pois as pessoas que o conhecem sabem como ele é! O mais difícil na minha opinião, neste caso, foi lidar com a impaciência, a ansiedade e a falta de apetite, que em seu caso foram as maiores manifestações. Além disso, você tem que explicar quinhentas mil vezes a mesma coisa até a pessoa se acalmar e entender um pouco o que está ocorrendo com ela! O bom é que, pela minha formação acadêmica, eu sempre lia um artigo diferente para tentar entender e explicar para ele quais neurotransmissores estavam desajustados! Ainda bem que deu tudo certo! Hoje podemos rir da situação, sua gula e impaciência voltaram ao normal, assim como sua barriga! Outro ponto importante era insistir na prática de atividade física; sempre pela manhã íamos caminhar no clube, para dar uma relaxada, pois parecia que seu cérebro ficava ligado a 220 por hora e, além do mais, a luz solar ajudava muito. O lado bom de tudo isso foi que ele incluiu em sua vida os exercícios e, hoje, faz pilates, musculação e natação. Para lidar com esta situação, como eu e minha mãe gostamos da parte da culinária, passávamos a tarde fazendo quitutes com ele, para tentar tirar o foco da ansiedade e mantê-lo distraído de pensamentos terríveis que rondavam na sua cabeça. Confesso que foi uma boa tática, pois pude perceber que o maior problema para ele era a sensação de que a hora não passava e, com isso, ficava vidrado no relógio, fora a perda de peso incrível e tudo acompanhado da NÓIA que ele nunca mais iria parar de perder peso, e começou a tomar suplemento alimentar! Passávamos a tarde modelando as massas e conversando para mudar seu foco. No caso, as melhores receitas que o distraíam eram as que tinham massa para modelar, como tortas e biscoitos.  Confesso que a torta de milho foi, sem sombra de dúvida, a mais saborosa e perfeita. Sendo assim, hoje esta será a receita!

 

 

TORTA DE MILHO

 

                      Preparo: 1 hora                                                    Serve: 8 pedaços

 

 

Ingredientes:

Massa:

- 200 gramas de farinha de trigo

- 100 gramas de manteiga sem sal (temperatura ambiente)

- 2 gemas

- 1 pitada de sal

 

Recheio:

- 1 ovo inteiro e 2 claras

- 1 xícara de chá de leite semi-desnatado

- 1 colher de sopa rasa de farinha de trigo

- 1 pacote de queijo ralado (50 gramas) *, separar um pouco para polvilhar em cima da torta na hora de assar 

- 1 lata de milho verde drenada

- 1 colher de sopa de manteiga sem sal

- 1 pitada de sal

 

Preparo:

1. Para a massa, junte todos os ingredientes em uma tigela e, com as mãos, amasse até obter uma massa homogênea;

 

2. Forre uma travessa de vidro ou cerâmica com a massa e reserve;

 

3. No liquidificador, bata todos os ingredientes do recheio e, em seguida, despeje na travessa forrada com a massa. Polvilhe queijo ralado por cima e leve ao forno pré aquecido a 180°C até ficar dourada, por volta de 50 minutos. ​​​​​​​​​

 

*caso você prefira um sabor mais intenso,  coloque 100 gramas de queijo ralado e não adicione a pitada de sal.

 

24 / 07 / 2015

MOMENTO AVENTAL

receitas * memórias * dicas * fotos * viagens

VERSÃO / VERSION